Dúvidas frequentes

Quem pode dar aulas de Pilates?

No início, quando o método ainda se chamava contrologia, as aulas de Pilates eram ministradas por bailarinos que tinham aulas com o “mestre” do Pilates, Joseph Pilates, para tratar de lesões causadas pela profissão. Devido à consciência corporal, os bailarinos transmitiam o método com grande beleza e fluidez que o método exige.

Segundo a legislação brasileira, somente dois profissionais estão habilitados a dar aula de Pilates: o Fisioterapeuta e o Educador Físico. Conheça as leis:

A resolução número 201, de 2010, do Conselho Federal de Educação Física (Confef), reconhece o Pilates como modalidade e método de ginástica que, como tal, deverá ser orientado e dinamizado por Profissionais de Educação Física.

De acordo com a Resolução 386, de 2011, publicada pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito), compete ao fisioterapeuta o exercício desta técnica, prescrevendo, induzindo o tratamento e avaliando o resultado a partir da utilização de recursos cinesioterapêuticos e mecanoterapeuticos.
Essa Resolução dispõe ainda, em seu Artigo 2º, que para os efeitos éticos e legais, o fisioterapeuta que aplica o método Pilates “estará vinculado ao controle ético e fiscalizatório do Sistema Cofitto/Crefitos”. Vale ressaltar que a prática exige o devido registro do profissional, consultório ou empresas no Crefito de sua circunscrição.

Resumindo, SIM, é necessário ter concluído a faculdade de Fisioterapia ou de Educação Física para poder dar aulas de Pilates. Um estudante pode não ter todo o conhecimento necessário para aplicar a técnica nos clientes, principalmente, se eles necessitarem do Pilates para reabilitação.

Depois de concluir a faculdade, é necessário fazer um curso de formação em Pilates. Existem vários no mercado. Portanto, é importante pesquisar bem e escolher o melhor custo-benefício. Investir em uma boa escola de Pilates pode fazer toda a diferença no seu currículo.



O método Pilates emagrece?

O Pilates proporciona sim perda calórica, pois se trata de uma modalidade de exercício físico.
O método promove também uma respiração profunda e eficiente, o que é essencial para a queima de calorias e a regeneração de tecidos.

Alguns estudos científicos já observaram redução de massa corporal (massa gorda) e reduções de circunferência abdominais e do quadril.
No entanto, pelo fato desta não ser o principal objetivo do método, se você pretende perder peso, é fundamental que você avise seu professor, para que o mesmo possa lhe passar exercícios que gerem maior gasto calórico. O professor pode também adicionar no seu treinamento exercícios aeróbicos com princípios de Pilates, desta forma é possível alcançar este objetivo com mais eficácia e rapidez.



Pilates aumenta a massa muscular?

O objetivo do Pilates não é a hipertrofia, ou seja, o ganho de massa muscular. Porém, é possível aumentar a área dos músculos com exercícios de alongamento. O Pilates fortalece e define a musculatura profunda do corpo. Ele trabalha mais com a qualidade e a repetição de movimentos, e menos com o aumento das cargas. Seu corpo fica mais definido e menos inchado, trabalhando vários grupos musculares ao mesmo tempo.



Qual a diferença de Pilates e musculação?

O Pilates, ao contrário da musculação, trabalha com poucas repetições e não há números de série, ou seja, é realizado apenas uma série de cada exercício.
Além disso, na musculação os movimentos e os exercícios são mais rápidos que no Pilates.

Outra diferença é que os exercícios do método Pilates seguem alguns princípios deixados pelo "mestre" Joseph Pilates, tais como: respiração, centro de força, concentração, controle, precisão e fluidez.

No Pilates o trabalho de força é realizado através de: aparelhos específicos da modalidade, cujo a resistência são molas e não pesos, acessórios (magic circle, bola suiça, faixa elástica, bolas tonificadoras, entre outros) e do peso do próprio corpo .

Diferente da musculação, os exercícios do Pilates trabalham o corpo como um todo e não pequenos ou grandes grupos musculares de um único membro.

Na musculação o aluno realiza em cada aula (dia de treino) um "grupo de exercícios" que se repete por um período que pode variar de 1 a 4 meses, já no Pilates cada aula, o aluno realiza um "grupo de exercícios" diferente. Sendo assim, o exercício no Pilates pode até repetir em algumas aulas, mas o "grupo de exercícios" dificilmente será realizado exatamente igual mais de uma vez.

Um único professor na musculação atende vários alunos no mesmo horário (turma), no Pilates um professor atende no máximo 4 alunos por horário (turma).



Pilates melhora a postura e dores no corpo??

O método Pilates é usado pelos educadores físicos e fisioterapeutas em tratamentos de reabilitação postural. Um dos objetivos mais importantes do método Pilates é o realinhamento postural.
Os exercícios, somados ao ganho de força e flexibilidade adquiridas com a prática, implicam diretamente na aquisição do realinhamento da postura, resultando no ganho de uma postura correta.
Muitas vezes as dores no corpo são consequência da postura (falta de flexibilidade ou força) e melhoram e até desaparecem com a prática de Pilates.

Mas atenção: para os casos de patologia na coluna você deve buscar a orientação de um especialista, antes de fazer qualquer exercício. Antes de começar as aulas, o instrutor deve fazer uma avaliação física para entender seus problemas e limitações, aplicando os exercícios mais adequados.



Tenho hérnia de disco, posso fazer Pilates?

Sim, é possível fazer aulas de Pilates tendo hérnia de disco.
Ultimamente muitos médicos tem indicado aulas de Pilates para portadores de hérnias de disco.
O Pilates é um método onde além de se preocupar o tempo todo com a postura correta e o centro de força, o aluno você deve passar por uma avaliação onde serão descritos exercícios contra indicados e exercícios que devem ser incluídos na aula para melhora da patologia e dor, a aula de Pilates pode e deve ser adaptada para as limitações de cada indivíduo.



Pilates é bom para quem tem escoliose?

O Pilates auxilia no tratamento e na prevenção da escoliose, pois estimula os dois lados do corpo igualmente. Ele fortalece, alonga e equilibra o corpo, proporcionando melhor alinhamento da coluna, reduzindo as tensões musculares e as compressões discais. O Pilates trabalha a flexibilidade, isso alivia as dores e previne o agravamento da doença. O tipo de exercício vai depender do grau da sua lesão, da intensidade dos sintomas e da sua capacidade de execução. Não deve haver sobrecarga ou dor durante e depois das aulas.



Quem tem artrite reumatóide pode fazer Pilates?

Primeiro é necessário saber qual o grau de sua artrite reumatóide e também quais são as suas limitações. Seu médico pode lhe recomendar o Pilates para trabalhar o fortalecimento dos músculos, pois ele vai ajudar na sustentação da coluna e melhora da postura. O Pilates também melhora o estresse, a respiração, a flexibilidade e a coordenação motora. Mas é importante que, antes de iniciar qualquer atividade, você procure orientação do seu médico ou fisioterapeuta.



Pilates é indicado para adolescentes?

O Pilates ajuda o adolescente a encontrar o equilíbrio muscular, dando maior estabilidade, principalmente à coluna, devido ao trabalho do “core” – centro de força que envolve o abdômen, paravertebrais, diafragma e assoalho pélvico. Ele melhora a postura, o equilíbrio, a força muscular, a respiração, entre tantos outros benefícios.

Estudos científicos também observaram melhora dos aspectos emocionais como humor e estresse e adolescente que passaram por um período de treinamento com o método Pilates.



Grávidas podem fazer Pilates?

Podem sim, mas com a liberação do médico. O Pilates é muito recomendado para gestantes por trabalhar os músculos do assoalho pélvico, abdominais, paravertebrais e diafragma, que dão sustentação ao nosso corpo e auxiliam no trabalho de parto. A prática também pode evitar dores nas costas e estimular a circulação.

Lembre-se de procurar um instrutor experiente e especializado em gestantes, para sua segurança e a do bebê, pois para cada mês de gestação existem cuidados na execução dos exercícios. Portanto, se o professor não for especializado, poderá colocar em risco a saúde da mamãe e do bebê.



Quantas vezes por semana devo fazer Pilates?

Os especialistas recomendam uma média de duas a três vezes por semana, ideal para que o corpo ganhe condicionamento. Mas a frequência vai depender do seu objetivo. Diferente da musculação, que necessita de um descanso para responder aos estímulos, o Pilates pode até ser praticado diariamente. Seu instrutor vai determinar o melhor treinamento para o seu perfil.



Em quanto tempo vejo os resultados do Pilates?

Para responder a esta pergunta é preciso avaliar a intensidade do treino, a frequência das aulas e o tipo de corpo da pessoa. Cada metabolismo reage diferente, uns respondem mais rápido e outros demoram um pouco mais. Os resultados também dependem da sua alimentação. Mas em média, levando em consideração duas aulas por semana, pode-se observar diferenças a partir da décima aula. Porém, os primeiros resultados nem sempre são estéticos, mas abrangem principalmente o alongamento e a postura corporal.


As perguntas foram retiradas de alguns sites, após uma extensa pesquisa.
Segue abaixo alguns websites pesquisados:

- Fisioterapia Manual.
- Instituto New Pilates.
- Revista Pilates.